Um post conceitual-afetivo para a Lidianne Andrade, atualmente a imagem que primeiro se forma na minha cabeça quando penso em origami. Ela fez seu trabalho experimental de conclusão sobre o assunto e inspirou a pauta de Eva Duarte – nomidade no dobrar papelzinho aqui em Pernambuco.

Ainda estou na espera do meu, para pendurar ou dar de presente.

Ah, a foto eu peguei daqui, mas sei que não tem a ver exatamente sobre origami. O que valeu foi a brincadeira com o joguinho do “pedra, papel, tesoura”. Forçando imagens (apenas) mentais, imagina um origami de pedra? Só Jean Grey conseguiria.