“…Aí, só mesmo de doido que sou, quando estávamos saido de um apertão daqueles, eu disse a ela que estava apaixonado e tudo. Claro que era mentira, mas o caso é que eu estava sendo sincero na hora que falei. Sou louco mesmo. Juro que sou.”

“…Ele me divertia um bocado. Acho que vou pra China. Minha vida sexual é uma porcaria. “

Não voltei a ler o Apanhador no Campo de Centeio, só botei esse desenho pelos 90 anos do livro. Mexeu muito comigo da primeira vez que li. Está na minha estante clichê de livros de formação, ao lado de Complexo de Portnoy, Na Ausência dos Homens, Flores do Mal (deem o desconto pela adolescência), Pergunte Ao Pó e Pé na Estrada.

“Entre outras coisas, você vai descobrir que não é a primeira pessoa a ficar confusa e assustada, e até enjoada, pelo comportamento humano. Você não está de maneira nenhuma sozinho nesse terreno…”

o desenho é do chapa pablo mayer.