de volta ao mundo real após quase uma semana na casa de lili sultanum – ou lili carabina para os de bom coração. só no sábado revivi meus ânimos, depois de trabalho árduo na fliporto. antes de ir, guardei comigo todas as catarses, insights e memórias que encontrei/construí lá. vou ficar com o som do piano verde, com o timbu adroaldo, a ponte sobre a piscina.

antes de voltar ao recife, enquanto tomo uma “nega maluca” no café do brasil, que a revista saiu do ar por conta do alto número de acessos. pra rir e chorar.